sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Vamos celebrar a estupidez humana

Só há na vida a certeza da morte. Mais clichê, impossível. Mas, e depois da morte? A pergunta também pode ser clichê, mas sobre a resposta não há consenso.
Tendo em vista a insignificância humana no universo,
e a consciência disso, 4.532 trilhões de teorias são escritas e ardentemente defendidas em prol de um consolo ou ilusão que certamente virá.
A idéia de céu, paraíso e vida eterna - com todos os nomes que pode possuir- justifica o fardo de vivermos essa pequenez terrena? Cria-se o imaginário de que até o purgatório e fogo do inferno trazem consigo certo conforto, para os injustiçados pelos pecados ou para o próprio pecador, que após pagar por seus erros também alcançará a eternidade.

Então eternos, o sentimento de grandeza prevalece! Os humanos tornam-se uma espécie perpétua. Não somente uma complexa coincidência de acontecimentos químicos físicos e biológicos, a alma, as lembranças os sentimentos, são evidências tão tangíveis quanto um buraco negro.

Equiparamo-nos com o universo definimo-nos indecifráveis e grandiosos. Eternos.

Talvez, o egocentrismo não tenha sido apenas um fator dialético pós-Idade Média, ele envolve a mentalidade não de crentes, mas de servos. Servos de um sistema, muito maior do que os econômicos e políticos estudados. O fato de ser humano.

Iludidos pela distância acreditamos ser maior que as estrelas...

Relutantes em aceitar ou tentar enxergar que a verdade é grade demais para nossas vistas limitadas. Os amontoados de células, o acidente biológico prepotente cria 4.532 teorias que tentam encontrar aquilo do qual se escondem.

4 comentários:

N. Mylonas disse...

Vcs tão sumidaas... =/

beijos

¿Controversy! disse...

São mais de 4.500.000.000.000 em busca de conforto para a alma, paz de espírito e evolução. No entanto, muitos esquecem das coisas simples da vida, deixando que a futilidade tome conta de suas vidas e as tornem mesquinhas e sem sentido. Sei que não sou perfeito e estou longe de tal, mas luto dia-a-dia para tentar ser uma pessoa melhor. É isso que me motiva a continuar fazendo o bem, sempre.
¿Abraços!

Deisy disse...

As vezes eu fico pensando no que vem depois da morte, mas cada vez eu fico mais confusa, prefiro nem pensar nisso, se não eu fico louca... hehe

Gostei do texto....

Carlos Medeiros disse...

Só quando fazemos a travessia é que realmente descobrimos o que há lá, uma vida eterna ou eterna escuridão, como quando dormimos.